Saiba mais
Idioma
Menu
Menu
Idioma

ABVE defende corte de IPI para elétricos e híbridos

A Associação Brasileira do Veículo Elétrico voltou a defender, nesta quarta (21/3), o corte do Imposto Sobre Produtos Industrializados (IPI) dos veículos elétricos e híbridos. Em nota assinada pelo presidente Ricardo Guggisberg, a ABVE diz confiar na promessa do presidente Michel Temer de divulgar o mais cedo possível o novo regime automotivo Rota 2030, que prevê a redução do imposto.

O corte do IPI, dos atuais 25% para até 7% (mesma alíquota dos carros flex), é condição essencial para o crescimento do mercado de veículos elétricos, segundo a associação.

Ricardo Guggisberg, presidente da ABVE


A ABVE cita o recente lançamento do Prius flex da Toyota – o primeiro carro elétrico híbrido movido a etanol do mundo – como exemplo de que as empresas já fazem a sua parte para desenvolver a eletromobilidade no Brasil. “A ABVE espera que tal exemplo inspire o Governo Federal a avançar nas ações em defesa da mobilidade sustentável, previstas no futuro programa automotivo Rota 2030” – afirma a nota.

“Por isso, confia em que o presidente Michel Temer divulgará o quanto antes a prometida redução do IPI dos veículos elétricos e híbridos para 7%, a mesma alíquota dos carros flex 1.0”. A nota também destaca que a colaboração entre as tecnologias de motorização elétrica e de biocombustíveis é o melhor caminho para o transporte sustentável no Brasil.

“O Brasil é um dos poucos países no mundo com competência para adotar diferentes tecnologias de energias renováveis”- concluiu o texto.
Ricardo Guggisberg participou, no dia 19 de março, na Universidade de São Paulo, do lançamento do protótipo do Prius flex da Toyota.
O carro iniciou um período de testes em condições reais, num percurso de 1.500 km entre São Paulo e Brasília.

Segundo o presidente da Toyota do Brasil, Rafael Chang, a empresa aguarda o anúncio do governo sobre o corte de IPI para definir a sua estratégia de produção e comercialização do Prius flex no país.

Fonte: ABVE